slider_oipodeentrar

Oi. Pode entrar, tá claro ainda.

Ver as pinturas da série “Oi. Pode entrar, tá claro ainda” é como entrar na casa de um parente distante. Há algo de familiar ali, mas você nunca sabe o que poderá encontrar ao virar um corredor ou abrir uma porta. Pintora por natureza, Maíra sempre procurou encontrar esse sentimento estranho dentro do familiar. Seus trabalhos anteriores[…]

slider_zivot2

Život je Tady: a vida é aqui

  “Život je Tady: a vida é aqui” é a primeira história em quadrinhos publicada da paulista Singh Bean. Realizado pela autora a partir de suas experiências viajando por Praga, Život traduz em uma poética pujante uma narrativa fragmentada que mistura universo interior e exterior da autora à medida que ela encontra e se relaciona com esse[…]

slider_livros_mar2

Livros de Mar: Roteiros Poéticos

Um livro que percorreu mares e rios, mas decidiu atracar na terra seca que circunda um pequeno lago. “Livros de Mar – Roteiros Poéticos” é o primeiro livro de poesia do catálogo da MÊS e o quarto livro publicado de Tristão Botelho, autor paracatuense radicado em Brasília. O quadrinista e editor Augusto Botelho assina o[…]

slider_antologia_2015_2

Antologia MÊS 2015

Em 2013, quando começamos a MÊS de maneira despretenciosa, não imaginávamos aonde esse projeto iria nos levar. Ao longo do ano, publicamos 12 zines mensais, financiamos nosso primeiro catarse. Aprendemos um monte sobre quadrinhos, edição, impressão. Descobrimos tudo no processo, com amigos que estavam criando com a gente, com os amigos já experientes que fizemos[…]

slider_yin2

YIN: Via noturna

Yin. Noite, frio, intuição, interior, absorção. Há mais ou menos um ano, Tauan comentou comigo sobre uma série que estava começando. Eram desenhos feitos como exercício e que ao mesmo tempo ansiavam por sair, tomando forma em imagens poderosas. A produção foi se tornando algo necessário e envolvente, e pouco tempo depois me disse que[…]

slider_zines_mes2

Zines MÊS

A MÊS surgiu como uma zine mensal em Janeiro de 2013 por iniciativa de Augusto Botelho e Daniel Lopes. Inicialmente, a idéia era que a zine funcionasse como um exercício. “A gente começou o MÊS com o propósito de desapegar de idéais grandiosas de HQ e simplesmente fazer, qualquer coisa que fosse! E saímos por[…]

slider_marco2

Marco: odisseia em busca da origem dos quadrinhos

“O homem não é nada além de um macaco no espaço”. Foi esta frase que eu ingenuamente inseri em um filme amador feito para o colégio nos idos de 1998. A coisa toda incluía uma animação primitiva feita com as próprias mãos (pintadas de preto) e um fundo escuro. Ela mostrava um macaquinho de playmobil[…]

slider_aguardadi2

O Aguardado: Máscaras trans-históricas

Rei Sebastião voltou. Voltou de onde nunca esteve. De onde nunca puderam encontrá-lo e corporificou-se no presente da memória do povo. Sebastião voltou. E agora. Encontra mascarados que se espalham enigmáticos e não se deixam prender pelas tentativas de achatamento de canais de televisão. Nas páginas de Augusto Botelho as próprias máscaras encontram muitas máscaras[…]